Endoscopia

Centro de Endoscopia

Conheça o serviço

O Centro de Endoscopia do Hospital Samaritano Higienópolis é especializado para atuar em todos os procedimentos, sejam de diagnósticos ou terapêuticos do trato gastrointestinal e vias aéreas de crianças e adultos. Os exames são realizados por equipe médica certificada, com grande experiência e capacitação para atuar, desde os mais simples aos mais complexos procedimentos médicos endoscópicos. Ampla estrutura física e equipamentos modernos aliados a toda segurança no procedimento com equipe multidisciplinar especializada com anestesistas e enfermagem altamente treinada - assim, a segurança e o conforto estão garantidos. Conheça mais sobre o nosso centro e os exames endoscópicos:

A importância dos exames endoscópicos

O Centro de Endoscopia está preparado para atender pacientes em caráter ambulatorial ou Day Clinic, no caso de pacientes com condições clínicas que peçam cuidados especiais ou que prefiram ficar internados. Nesse caso, nossa equipe de enfermagem é capacitada para acompanhar todo o processo e auxiliar em qualquer preparo necessário.

Exames endoscópicos são essenciais para o diagnóstico, prevenção e o tratamento de diversas doenças gastrointestinais e respiratórias. Mas, para garantir a segurança desse procedimento, o ambiente hospitalar e toda sua estrutura são necessários.

O Centro de Endoscopia do Hospital Samaritano Higienópolis tem atenção especial em 3 áreas:

Centros Especializados

Prevenção do câncer colorretal

Atualmente o câncer de colón e reto é o segundo tipo de câncer mais frequente no Brasil, tanto para homens como para as mulheres. A colonoscopia é o exame que realmente previve o câncer no futuro ao identificarmos lesões consideradas pré-malignas e removê-las através da colonoscopia. Além de ser muito importante para o seguimento pós ressecção e controle no surgimento de novas lesões

Procedimentos endoscópicos de alta complexidade

Pensando nesses cuidados, o centro é capacitado e equipado com aparelhos de última geração que oferece não só diagnóstico mas tratamento como  drenagem de cistos ou pseudocistos pancreáticos, colocação de marcadores para orientar radioterapia (Fiducial) através da ecoendoscopia, radiofrequência para tratamento de esôfago de Barrett, ablação de vasos sangrantes pós radioterapia (ex: retite actínica) com uso de plasma de argônio e ressecção de lesões de grandes proporções ou câncer na fase inicial por endoscopia/colonoscopia (dissecção endoscópica de submucosa – ESD), ligadura elástica, dilatação de estenoses com balão e colocação de próteses.

Estes procedimentos de alta complexidade somente serão agendados após avaliação prévia do endoscopista, em concordância com o paciente e médico solicitante do exame.

Exames em pacientes pediátricos

O centro está equipado com endoscópicos pediátricos para atender crianças de todas as idades, com equipe médica e anestésica dedicada para este grupo de pacientes, tanto ao nível ambulatorial como internado.

Principais exames

Endoscopia digestiva alta (EDA)

O que é o exame de endoscopia digestiva alta?

É o exame endoscópico do esôfago, estômago e parte do duodeno, onde é realizado um estudo detalhado da mucosa destes órgãos, podendo identificar: esofagites, gastrites, duodenites, úlceras, pólipos, tumores, etc. Em alguns casos, é acompanhado de uma biópsia para análise e diagnósticos mais precisos. Alguns procedimentos terapêuticos podem ser realizados durante o exame como: a remoção de corpo estranho, passagem de sondas, esclerose ou ligadura de varizes, passagem e retirada de balão intragástrico para tratamento da obesidade, dilatação, gastrostomia, ressecções de lesões neoplásicas e outros. Durante o exame, que dura entre 10 e 20 minutos, um aparelho endoscópico é introduzido pela boca, que permite a visualização interna dos órgãos (esôfago, estômago e duodeno) e documentação fotográfica. Para conferir maior conforto ao paciente, são administradas anestesia endovenosa pelo anestesiologista e em algumas situações pode ser utilizado um anestésico spray na cavidade oral.Após o procedimento, o paciente deverá ficar em repouso por cerca de 30 minutos, até que os efeitos dos sedativos desapareçam.

Quais são as indicações para o exame de endoscopia digestiva alta?

  • Azia, sensação de refluxo, queimação no estômago
  • Náuseas e vômitos frequentes
  • Suspeita de sangramento (fezes escuras, vômitos com sangue)
  • Dor abdominal
  • Perda do apetite
  • Perda de peso sem motivo aparente
  • Dor e/ou dificuldade para engolir

 

Como é o preparo para o exame?

O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto.

Quais os riscos do procedimento?

A endoscopia digestiva alta é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são a flebite – dor e inchaço no trajeto da veia puncionada – e rinite, causada pela administração de oxigênio por cânula nasal.

Colonoscopia

O que é o exame de colonoscopia?

É o exame do intestino grosso (cólon e reto), que permite o diagnóstico de inflamações e outras doenças, tais como: inflamações (colites), pólipos, divertículos, tumores, úlceras etc.
Em alguns casos, é acompanhado de uma biópsia para análise e diagnóstico mais precisos. O procedimento pode ser realizado também para cauterização, ressecção de lesões de cólon e reto, dilatação e outros. Durante o exame, que dura entre 30 e 60 minutos, o colonoscópio é introduzido pelo reto até o ceco (porção inicial do cólon) ou até o íleo terminal. Então é feita uma minuciosa inspeção do intestino grosso (cólon), identificando eventuais alterações. Para conferir maior conforto ao paciente, o procedimento é realizado com sedação administrada na veia. Após o exame, o paciente deverá ficar em repouso por 30 a 60 minutos, até que os efeitos dos sedativos desapareçam.

Quais são as indicações para o exame de colonoscopia?

  • Rastreamento de câncer colorretal
  • Seguimento pós-polipectomia de cólon
  • História familiar de câncer colorretal
  • Diarreia
  • Suspeita de sangramento (fezes escuras ou sangue nas fezes)
  • Dor abdominal
  • Perda do apetite
  • Perda de peso sem motivo aparente

 

Como é o preparo para o exame?

É necessário que o paciente tenha seguido rigorosamente as orientações quanto à dieta, jejum e preparo do cólon. Este último pode ser realizado totalmente em casa, parcialmente no hospital ou totalmente no hospital, a depender de cada caso. É obrigatória a presença de acompanhante adulto. 

Ecoendoscopia alta

O que é o exame de ecoendoscopia alta?

A ecoendoscopia alta é um exame que fornece imagens ultrassonográficas
do esôfago, estômago, duodeno ou de estruturas adjacentes. O método também permite a realização de punções, drenagens e injeções de medicamentos, guiadas por ultrassom em tempo real. Durante o exame, que dura entre 20 e 30 minutos, um aparelho ecoendoscópico é introduzido pela boca, e para conferir maior conforto ao paciente, são administradas sedação endovenosa e o uso de anestésico em spray na garganta.

Em alguns casos, há necessidade de coleta de material sólido ou líquido para análises em laboratório de anatomia patológica, exames bioquímicos e/ou culturas. Após o procedimento, o paciente deverá ficar em repouso por 30 a 60 minutos, até que os efeitos dos sedativos desapareçam.

Quais são as indicações para o exame de ecoendoscopia alta?

  • Suspeita de cálculos de vias biliares (microlitíase)
  • Avaliação de lesões subepiteliais do esôfago, estômago e duodeno
  • Estadiamento de lesões do trato gastrointestinal
  • Avaliação do pâncreas e das vias biliares
  • Punção de lesões
  • Drenagem de coleções

 

Como é o preparo para o exame?

O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto.

Quais os riscos do procedimento?

A ecoendoscopia alta é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são a flebite – dor e inchaço no trajeto da veia puncionada – e rinite, causada pela administração de oxigênio por cânula nasal.

Ecoendoscopia baixa

O que é o exame de ecoendoscopia baixa?

A ecoendoscopia baixa é um exame que fornece imagens ultrassonográficas da parede do intestino ou de estruturas adjacentes. Durante o exame pode ser feito também a realização de punções, drenagens e injeções de medicamentos, guiadas por ultrassom em tempo real. No exame, que dura entre 20 e 30 minutos, um aparelho ecoendoscópico é introduzido pelo ânus. Para maior conforto do paciente, o procedimento é realizado com sedação administrada na veia. O paciente não deverá sentir nada ou eventualmente um leve desconforto abdominal (semelhante à cólica) por conta da passagem do aparelho ou da insuflação do intestino com ar. Em alguns casos, há necessidade de coleta de material sólido ou líquido para análises em laboratório de anatomia patológica, exames bioquímicos e/ou culturas. Após o procedimento, é necessário ficar em repouso por cerca de 30 minutos, até que os efeitos dos sedativos desapareçam.

Quais são as indicações para o exame de ecoendoscopia baixa?

  • Avaliação de lesões subepiteliais de cólon e reto
  • Suspeita de endometriose profunda
  • Estadiamento de lesões do trato gastrointestinal
  • Punção de lesões
  • Drenagem de coleções

 

Como é o preparo para o exame?

É necessário que o paciente tenha seguido rigorosamente as orientações quanto a dieta, jejum e preparo do cólon. É obrigatória a presença de acompanhante adulto. 

Quais os riscos do procedimento?

A ecoendoscopia baixa é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são a flebite – dor e inchaço no trajeto da veia puncionada – e rinite, causada pela administração de oxigênio por cânula nasal.

Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE)

O que é o procedimento de colangiopancreatografia retrógrada endoscópica?

É o exame endoscópico - com o aparelho introduzido via oral - associado ao exame radiológico das vias biliares e pancreáticas. Durante o procedimento de cerca de 60 minutos, realizado em centro cirúrgico, o paciente receberá anestesia geral para evitar qualquer dor ou desconforto.
Durante o exame é possível avaliar essa região, das vias biliares e/ou pancreática, e quando indicado realizar procedimentos terapêuticos como: abertura da papila (papilotomia), retirada de cálculo biliar, dilatação de estenose, colocação prótese biliar/pancreática.
Após o exame, ficará em observação até ser liberado para retornar ao quarto.

Quais são as indicações para a realização da colangiopancreatografia retrógrada endoscópica?

  • Presença de cálculos nas vias biliares e/ou pancreáticas
  • Suspeita de estreitamentos ou dilatações das vias biliares e/ou pancreáticas
  • Infecção da via biliar (Colangite aguda)

 

Como é o preparo para o procedimento?

O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto.

Quais os riscos do procedimento?

A colangiopancreatografia retrógrada endoscópica é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são pancreatite, sangramento, perfuração e eventos adversos relacionados à sedação.

Gastrostomia endoscópica

O que é o procedimento de gastrostomia endoscópica?

É um procedimento cirúrgico por via endoscópica para fixação de uma sonda de alimentação diretamente no estômago através da pele. O procedimento é realizado sob sedação profunda ou anestesia geral, a depender do critério do médico anestesista, para evitar dor e desconforto por parte do paciente. Durante o procedimento, que dura cerca de 30 minutos, é introduzido um endoscópio pela boca para realização de estudo detalhado do esôfago, estômago e duodeno. Em seguida, é posicionada uma sonda no abdômen até o estômago.

Quais são as indicações para a realização da gastrostomia endoscópica?

O procedimento é indicado para quando o paciente não consegue engolir e há necessidade de inserir a dieta diretamente no estômago. É comum em casos de problemas neurológicos como AVC e traumas crânio-encefálicos.

Como é o preparo para o procedimento?

O paciente deverá ficar em jejum completo - inclusive de água - por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto.

Quais os riscos do procedimento?

A gastrostomia endoscópica é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são sangramento, infecção do sítio cirúrgico - incisão da cirurgia ou tecidos manipulados durante o procedimento - e eventos adversos relacionados à sedação.

O que esperar do pós-procedimento?

O paciente ficará em observação até ser liberado para retornar ao quarto e receberá a dieta pela sonda em até 6h. Haverá a sua disposição serviços de endoscopia e nutrição para dar orientações de como manipular a sonda de gastrostomia.

Cápsula Endoscópica do intestino delgado (com ou sem Endoscopia Digestiva Alta)

O que é o procedimento de cápsula endoscópica?

Exame com a finalidade de estudar o intestino delgado através da ingestão de uma cápsula endoscópica. Após a ingestão, o paciente poderá retomar suas atividades diárias habituais. Imagens do revestimento do intestino são transmitidas para um receptor externo portátil, que deve ficar junto ao paciente (preso à cintura ou em um bolso da roupa) que em conjunto produzirá um filme para ser avaliado posteriormente pelo médico. O exame de cápsula endoscópica é especialmente útil para encontrar hemorragias ocultas no trato digestivo e problemas na superfície interna do intestino delgado, que é uma área difícil de ser avaliada através da endoscopia digestiva alta ou colonoscopia.
O procedimento é finalizado após 8h e, ao fim desse período, o paciente deverá retornar ao consultório para remoção e devolução do equipamento (gravador externo). E a cápsula será eliminada pelas fezes habitualmente entre 24 e 72 horas após a ingestão e não precisa ser recuperada.

Quais são as indicações para a realização da cápsula endoscópica?

O procedimento é indicado para avaliação do intestino delgado quando há necessidade de investigar sangramentos digestivos e inflamações. Pode ser realizado também para avaliação do intestino grosso (cólon e reto).

Quais são as contraindicações ou pontos de atenção para o exame de cápsula endoscópica?

  • Suspeita ou diagnóstico de obstrução gastrointestinal
  • Fístulas
  • Desordens de deglutição
  • Uso de marca-passo cardíacos
  • Gravidez
  • Antecedente de cirurgia gástrica

 

Quais os riscos do procedimento?
Raramente o paciente não consegue deglutir a cápsula. Nestas condições esta será inserida no estômago com auxílio de uma endoscopia digestiva alta.

Em outros casos, a retenção da cápsula endoscópica no estômago, que é mais comum em pacientes com suspeita ou diagnóstico de Doença de Crohn. Nestes casos, pode ser necessária a repetição do procedimento em razão de resultados insatisfatórios.

Broncoscopia

O que é o exame de broncoscopia?

É o exame da laringe, da traqueia e dos brônquios, onde é possível identificar alterações da mucosa, corpo estranho, estreitamentos, rolhas de secreção e outros. Pode ser acompanhado de biópsia ou lavado broncoalveolar. Durante o exame, que dura cerca de 30 minutos, é introduzido o broncoscópio, que permite a visualização dos brônquios e suas alterações. O procedimento é realizado sob sedação profunda, permitindo um exame seguro e confortável. Após o exame, o paciente deverá permanecer em repouso por cerca de 30 minutos, até que os efeitos da sedação desapareçam. Caso não haja complicações, receberá alta após esse período.

Qual o preparo para o exame?

O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto.

Quais os riscos do exame? 

A broncoscopia é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são laringo/bronco espasmo, sangramento no local das biópsias, pneumotórax, febre e eventos adversos relacionadas à sedação.
Em algumas situações existe a necessidade de intubação para garantir a respiração adequada do paciente

Laringoscopia

O que é o exame de laringoscopia direta?

É o exame para avaliação da laringe através de um aparelho endoscópico que permite a visualização direta do órgão. O procedimento tem duração de cerca de 15 minutos e é comumente realizado sob sedação. Nos casos em que é necessária a participação do paciente durante o exame por meio da fala, poderá ser realizado sem a administração de sedativos, para a avaliação da mobilidade das pregas vocais. E se necessário, será feita a coleta de material através da biópsia.

Qual o preparo para o exame?

O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto.

Quais os riscos do exame?

A broncoscopia é um exame seguro e complicações sérias são raras. As mais frequentes são laringo/bronco espasmo devido à manipulação das vias áreas, sangramento no local das biópsias e efeitos adversos relacionados à sedação.

Sonoendoscopia (endoscopia do sono induzido)

O que é o exame de sonoendoscopia?

É um exame complementar para tratamento da Apneia Obstrutiva do Sono. O exame é realizado via aérea superior (cavidades nasais, faringe e laringe), sob sono induzido que reproduz a situação do sono espontâneo, para permitir a visualização dessas estruturas por um endoscópio flexível. O procedimento auxilia na seleção adequada do tipo de tratamento (clínico ou cirúrgico), pois possibilita a avaliação da via aérea no momento do evento da apneia em uma situação mais próxima do sono espontâneo. O exame tem duração de 20 a 60 minutos, com monitoração contínua da oxigenação sanguínea, pressão arterial e frequência cardíaca. Após o exame, o paciente deverá ficar em repouso por 15 a 20 minutos e não poderá dirigir durante todo o dia.

Qual o preparo para o exame?

O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e estar acompanhado por um adulto. Antes do procedimento, é necessário ainda o preenchimento da ficha de admissão e do termo de consentimento informado.

Quais os riscos do procedimento?

A sonoendoscopia é um exame seguro e complicações sérias são raras. A mais frequente é a flebite - dor e inchaço no trajeto da veia puncionada.

Phmetria Esofágica

O que é o procedimento de Phmetria esofágica?

A Phmetria esofágica é um exame que avalia o refluxo (retorno) de ácido contido no estômago para o esôfago. Monitorando o paciente por aproximadamente 24 horas através de uma sonda fina introduzida pela narina, conectada a um receptor externo portátil, que precisa ficar junto ao paciente (preso a cintura ou em um bolso). O procedimento permite avaliar e diferenciar o refluxo ácido fisiológico (normal) do patológico (alterado).
A colocação da sonda é realizada sob anestesia local (gel pela narina) e um spray anestésico pela boca. Ao fim do período, o paciente deverá retornar ao consultório para remoção e devolução do equipamento (gravador externo).

Quais são as indicações do exame de pHmetria esofágica?

Sintomas como:

  • Azia,
  • Regurgitação,
  • Tosse,
  • Pigarro,
  • Dor torácica.

 

Como é o preparo do procedimento?
O paciente deverá ficar em jejum completo por 8h antes do procedimento e realizar a lavagem nasal dias antes ao exame.

Quais os riscos do procedimento?

O exame é seguro e sem complicações sérias.

Exame de manometria anorretal

O que é o exame de manometria?

É um teste realizado para avaliar pacientes com constipação, incontinência fecal e outros distúrbios dos órgãos do assoalho pélvico. Este procedimento avalia e quantifica as pressões dos esfíncteres anais (músculos do ânus). Mede as pressões desses músculos, a sensação no reto e os reflexos neurais que são necessários para executar os movimentos normais do intestino. Durante o exame, um pequeno tubo flexível será inserido no ânus, que irá medir a pressão e os reflexos musculares. O procedimento leva cerca de 20 minutos e não requer anestesia ou sedação, por ser um exame pouco invasivo e indolor, que necessita da participação consciente do paciente. O médico solicitará que o paciente realize movimentos comuns como: esforço para evacuar, para prender, ou mesmo relaxar em vários momentos do exame. As pressões do esfíncter anal são medidas durante cada uma dessas manobras.

Qual o preparo para o exame?
Não se faz nenhum preparo. A alimentação deve ser a habitual. O ideal é que o paciente já tenha evacuado antes do exame. Alérgicos ao látex, devem informar à equipe antes do teste.

Quais os riscos do procedimento?
O procedimento é seguro, de baixo risco e é pouco provável causar qualquer dor. As complicações são raras: um pequeno sangramento, se o paciente estiver com uma lesão prévia.

Nossa equipe multidisciplinar de especialistas

{{doctorsLength}} profissional(is) encontrado(s)
{{doctorsLength}} profissional(is) encontrado(s)
Aguarde, carregando...

CENTRAL DE CONTEÚDO GRUPO AMERICAS

Informação é mais saúde